SERVIÇOS

Experiencia e compromisso com a qualidade.

Treinamentos (Segurança e Medicina do Trabalho)

Ergonomia – NR 17

   (Explanação detalhada das condições ergonômicas da empresa, segundo critério exigido pela legislação brasileira NR-17 (portaria 3.751/90 do Ministério do Trabalho e Emprego);

CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes)

   Organização e renovação da respectiva comissão dentro das disposições legais envolvendo o seu dimensionamento, criação da comissão eleitoral, comunicados aos sindicatos e ao Ministério do Trabalho, elaboração das fichas de inscrição e cédulas de votação, apuração dos votos, preparo das atas necessárias e respectivos registros nos órgãos competentes, realização do curso de treinamento para os seus componentes e assessoramento na elaboração do Mapa de Riscos Ambientais. Acompanhamento das reuniões ordinárias e/ou extraordinárias, bem como auxílio no levantamento de acidentes do trabalho nas dependências da empresa, orientando o procedimento correto quando da realização das inspeções de segurança por parte dos seus integrantes. Orientações quanto a forma e o procedimento a ser adotado com relação a substituição dos seus integrantes.

Segurança em Instalações Elétricas (Básico) –NR-10

   Com o objetivo de capacitar os participantes para prevenção em acidentes com eletricidade, em atendimento ao novo texto da NR-10 para trabalhadores autorizados. Público alvo: Engenheiros Eletricistas, Engenheiros de Segurança, Técnicos de Segurança, Gerentes de Manutenção, Técnicos de Eletrônica, Profissionais das áreas de Telecomunicações que desenvolvem atividades nas proximidades das instalações elétricas, Eletricistas e profissionais que atuam na área de instalações elétricas, que devem estar capacitados.

 

Espaço Confinado – NR-33

   Trabalhos em áreas confinadas são uma das maiores causas de acidentes graves. Seja por ocorrência de explosão, incêndio ou asfixia, estes acidentes em muitos casos têm consequências fatais. A NR-33 tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento e controle dos riscos existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nestes espaços. O espaço confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio. Público-alvo: Todas as empresas onde seus colaboradores (próprios ou terceirizados) atuem em espaços confinados. Profissionais que desejem aprender a lidar com o trabalho em espaços confinados e desejem demonstrar o atendimento a NR-33.

 

Primeiros Socorros

  • Controlar o local do acidente para evitar maiores lesões;

  • Desobstruir as vias aéreas da vítima;

  • Administrar a respiração de salvamento;

  • Administrar a ressuscitação cardiopulmonar feita por um ou dois socorristas;

  • Controlar o sangramento com pressão direta, elevação, pontos de pressão e torniquetes;

  • Conhecer as técnicas básicas de curativos e bandagens;

  • Detectar fraturas expostas e fechadas e realizar os cuidados iniciais;

  • Detectar casos de envenenamento, incluindo intoxicação por álcool ou drogas e tratálos;

  • Detectar ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais (AVC) e crises convulsivas e tratá-los;

  • Detectar lesões faciais, cranianas e torácicas e tratá-las;

  • Detectar queimaduras de primeiro, segundo e terceiro graus e inalação de fumaça e tratá-las;

  • Fornecer apoio psicológico a vítimas de crises e desastres;

Trabalho em Altura – NR-35

Para profissionais das áreas de operação e manutenção da Contratante e de empresas contratadas que executam atividades referentes à pré-operação, execução e manutenção relacionadas ao trabalho em altura com risco de queda igual ou superior a 2,0 metros.

 

Treinamento de Conscientização Sobre o Uso de EPIs – NR-06;

 

A importância do treinamento para uso de EPIs. ... Sigla para Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs são dispositivos de uso individual que protegem o trabalhador de riscos que estão presentes no ambiente de trabalho e podem ameaçar sua saúde ou segurança.

 

Operador de Empilhadeira NR-11; Com o objetivo de reciclar e rever conhecimentos para operação e manutenção de empilhadeiras, para realizar as operações de transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais de forma segura e precisa, evitando perdas de tempo, acidentes e custos para as empresas. Se destina à operadores de empilhadeiras que já operam os equipamentos e estão habilitados para a função.

 

Operação em Máquinas e Equipamentos NR-12

Este treinamento foca as medidas prevencionistas de segurança e higiene do trabalho a serem adotadas pelas empresas em relação à instalação, operação e manutenção de máquinas e equipamentos, visando à prevenção de acidentes do trabalho. A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento jurídico à existência desta NR, são os artigos 184 e 186 da CLT.

 

Treinamento de Brigada de Incêndio – NR-23

Este treinamento é ministrado por profissionais qualificados e habilitados conforme preconiza a Nr 23 e serve para preparar o brigadista com conhecimentos necessários para a prevenção e combate a incêndio de acordo com as particularidades da empresa, propiciando ao mesmo condições de atuar nas emergências que envolvem riscos específicos da instituição.

 

Treinamento de Integração NR-18

Treinar os trabalhadores recém contratados conforme as exigências legais estabelecidas pela NR 18 da Portaria 3214/78, do Ministério do Trabalho.

 

SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes)

Voltada à prevenção, tanto no que diz respeito a acidentes do trabalho quanto a doenças ocupacionais. É uma das atividades obrigatórias para todas as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes do Trabalho (CIPA), devendo ser realizada anualmente. Desenvolvemos palestras com várias temáticas, possibilitando a adaptação do conteúdo, oferecendo assim, flexibilidade para uma apresentação específica e personalizada conforme as necessidades da empresa.

 

Segurança Ocupacional:

 

PGR (Programa de Gerenciamento de Riscos)

 O objetivo principal do PGR é prevenir a ocorrência de acidentes que possam causar danos ao público e ao meio ambiente e reduzir sua severidade, quando um evento desta natureza ocorrer.O PGR poderá tornar-se, também, uma importante ferramenta para se reduzir custos destinados a reparação de danos, paralisação de produção, indenizações por afastamento parcial/total de funcionários e contratação de apólices de seguros.

 

PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) – NR-9

 É um conjunto de ações visando à preservação da saúde e da integridade/segurança dos trabalhadores, através de etapas que visam a antecipação, reconhecimento, avaliação (qualitativa / quantitativa) e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

 

PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário)

O perfil profissiográfico previdenciário constitui-se em um documento histórico-laboral do trabalhador que reúne, entre outras informações, dados administrativos, registros ambientais e resultados de monitoração biológica, durante todo o período em que este exerceu suas atividades. A INOVA4 disponibiliza aos seus clientes o gerenciamento on-line de todas as informações pertinentes aos trabalhos, inclusive a impressão de PPP no momento em que o cliente necessitar.

 

PPRPS (Programa de Prevenção de Riscos em Prensas e Similares)

Nosso PPRPS é elaborado analisando as prensas e similares da sua empresa com relatórios fotográficos e sugestionando as medidas para adequação dos equipamentos.

 

LTCAT (Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho)

A necessidade de se elaborar os laudos técnicos ambientais para a caracterização ou não da insalubridade está prevista em vários dispositivos legais, com ênfase à NR-15, item 15.4.1.1, onde se deduz que o instituto da insalubridade não pode ser ou deixar de ser caracterizado por mero acaso. Há de ser lastreado por laudo técnico de profissional habilitado, engenheiro de segurança ou médico do trabalho com equipamentos técnicos devidamente calibrados para demonstrar confiabilidade no resultado final.

 

Mapa de Risco

 Deve ser realizado levantamento dos locais de trabalho apontando os riscos que são sentidos e observados pelos próprios trabalhadores de acordo com a sua sensibilidade. Deve ser refeita a cada gestão da CIPA.

 

CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – NR-5

 Prestamos total assessoria na montagem de CIPA da sua empresa. Neste caso, realizamos os serviços de acompanhamento de eleição, abertura de livro de atas e protocolização de documentos junto ao MTE.

 

Laudo das Instalações Elétricas

Realizamos um laudo contendo informações e fotos das não-conformidades das instalações elétricas, através de uma auditoria baseada nas normas técnicas NBR´s 5410, 5418, 5419 e 14039, e NR-10, visando desenvolver um cronograma de atividades e recomendações para adequação das instalações elétricas da empresa.

 

Laudo de SPDA – Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas / Para-raios

Efetuamos o laudo contendo informações e fotos das não-conformidades do SPDA, através de auditoria baseada na norma técnica NBR 5419 e NR-10, e medições do sistema de aterramento com equipamento aferido, desenvolvendo um cronograma de atividades e recomendações para adequação do sistema de para-raios e aterramento.

 

Laudo Ergonômico – NR-17

Nosso laudo ergonômico foca os aspectos físicos acerca da interface homem-máquina, nos pontos de vista anatômicos, antropométricos, fisiológicos e sensoriais, com o objetivo de dimensionar as estações de trabalho. A análise ergonômica do trabalho é fundamentada nos protocolos OWAS e Rula e segue a metodologia para avaliar a caracterização do risco inerente, seguindo a norma NR-17. Com a apresentação do laudo, a empresa será capaz de priorizar corretamente as ações necessárias para a adequação dos postos de trabalho.

 

Laudo de Insalubridade – NR-15

Tem como objetivo a elaboração de laudo técnico de avaliação das atividades dos funcionários e o eventual enquadramento para fins de pagamento de adicional de insalubridade, através da realização de determinações técnicas específicas quantitativas, tais como: ruído, temperatura, iluminação, e qualitativas, como por exemplo, de agentes químicos, onde couber para comparação com os parâmetros estabelecidos pela norma regulamentadora nº 15 (NR-15) – atividades e operações insalubres – da portaria nº 3.214/78, utilizando-se, para tanto, o conceito de GHE – Grupo homogêneo de exposição (setor / função), segundo o estabelecido pela instrução normativa nº 100 do INSS.

 

PCMAT ( Programa de Condições e meio Ambiente de Trabalho na Indústria de Construção)

O PCMAT é um programa que estabelece procedimentos de ordem administrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a implantação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.

 

Caldeiras e Vasos Sob Pressão – NR-13

A legislação pertinente prevê que as caldeiras, equipamentos e recipientes em geral, devem obrigatoriamente dentre os dispositivos de segurança, contar com válvulas que evitem que a pressão interna seja ultrapassada e, assim, trabalhe dentro de sua resistência compatível. Quanto ao projeto de construção, acompanhamento de operação e manutenção, inspeção e supervisão de inspeção de caldeiras e vasos de pressão, deve ser realizada por profissional habilitado, ou seja, por engenheiro com competência legal para o exercício da profissão, conforme regulamentação profissional vigente no país.

 

Perícia Técnica (Assistente Técnico Pericial)

No âmbito da Justiça do Trabalho, mais especificamente falando, o assistente técnico contratado pela empresa reclamada tem seu papel fundamentado no acompanhamento das diligências relativas à perícia, visto que, uma vez que o perito judicial vai até o local para conhecer as atividades dos funcionários e setores da empresa, o perito assistente, por possuir também o conhecimento fático, poderá fornecer argumentos técnicos específicos ao perito, além de elaborar quesitos técnicos destinados a esclarecer os fatos e provas apresentadas, emitir seu próprio parecer e, se for o caso, impugnar o laudo apresentado pelo perito do juízo, na hipótese de constatar alguma irregularidade. Trata-se, portanto, de instrumento capaz de proteger os interesses daquele empregador acionado na justiça.

 

Medicina Ocupacional:

 

PCMSO

Para o atendimento desta norma é elaborado todo um programa médico de saúde ocupacional com base na atividade dos funcionários, determinando-se quais exames terão de ser exigidos na sua admissão, no decorrer de suas atividades (periódico), no retorno ao trabalho (quando o funcionário estiver afastado devido a um acidente de trabalho ou uma doença ocupacional), também quando houver uma mudança de função e/ou atividade e por último no ato de sua demissão.

 

Exames complementares (Audiometria, Espirometria, Acuidade visual, Eletrocardiograma (ECG), Eletroencefalograma (EEG), Raio X, Atendimentos incompany, Creatinina, Glicose, Hemograma, Colesterol total e frações, GPT (TGP), TSH e Glicemia de jejum).